sexta-feira, 26 de agosto de 2011

(Texto 100) Dinamo Zagreb caminha para manter hegemonia na Croácia

Atletas do Dinamo comemoram o gol contra o Osijek, pela quinta rodada (GNKDinamo.hr)
Por Felipe Portes

Mais do que Barcelona e Real Madrid, Kobenhavn, Porto e Benfica, o Dinamo Zagreb está caminhando para manter uma hegemonia das mais duradouras em território croata. Campeões nacionais desde a temporada 2004/05, após interromper a sequência de dois títulos do Hajduk Split, os plavi (azuis, em croata) demonstram ter plena condição de chegar a mais um triunfo na Prva HNL. 

A aposta deste que vos escreve é um simples palpite dado ao se ter uma olhadela na classificação do certame, que se encontra na quinta rodada. Com 100% de aproveitamento, 15 gols e ainda sem ter sua meta vazada, o Dinamo abriu três pontos de diferença sobre o Hajduk, que foi derrotado pelo Zadar. O bom início na liga doméstica é um reflexo da empolgação e superação dos plavi, que também estão se reencontrando com o melhor futebol continental, com a vaga para a fase de grupos na Liga dos Campeões. 

Numa chave com Ajax, Real Madrid e Lyon, o Dinamo pode estar fadado a amargar a eliminação, sem direito até à participação na Liga Europa. Mas experimente dizer isso ao tão apaixonado torcedor e principalmente aos Bad blue boys, principal organizada do clube, que protagonizou várias brigas históricas com as equipes de Belgrado no início dos anos 1990. 

Tida como uma das mais violentas da Europa, a facção tem tanto poder no país, que especula-se que seu apoio ao candidato Franjo Tudman nas primeiras eleições presidenciais na Croácia tenha sido essencial para a sua vitória. Vários torcedores da BBB integraram o exército croata na batalha pela independência do país da antiga Iugoslávia.

Ainda que a torcida tenha se virado contra Tudman depois de uma proposta absolutamente indecente (ele sugeriu que o clube alterasse seu nome para NK "Croatia", deixando para trás a tradicionalidade e uma história de muita luta apenas atrelada a cidade de Zagreb. A arquibancada oeste do Maksimir traz um monumento em homenagem aos BBB que perderam suas vidas no conflito de separatismo.

Contudo, fora de questões políticas, o Dinamo vai muito bem, obrigado. Com "bala na agulha" para conquistar mais um troféu na Prva HNL, os azuis terão o apoio integral de seus fiéis amantes nas arquibancadas do Maksimir Stadion, seja por competições nacionais ou pela taça da bola estrelada.

Em um plantel reforçado esta temporada pelo selecionável Jerko Leko, vindo do Bucaspor, o Dinamo ainda trouxe Walid Atta, que estava no Lokomotiva, mas construiu sua carreira no AIK Solna, da Suécia. Podemos nomear como destaques do time o meia brasileiro Sammir (ex-Atlético Paranaense), o lateral Leandro Cufré (com passagem por Roma e Monaco), Milan Badelj, Ivan Tomecak, Luis Ibañez, Tonel (ex-Sporting), Igor Biscan (ex-Liverpool e Panathinaikos), além de Andrej Kramaric e o artilheiro Ante Rukavina. 

Na quinta jornada da Prva HNL, uma vitória sobre o Osijek por 4-0 fez com que a agremiação de Zagreb repousasse na liderança, contando com o tropeço do NK Lokomotiva, então vice-líder. A aproximação do Hajduk na tabela não parece incomodar os plavi, que nem sequer sofreram gols até a presente rodada. Dentre os artilheiros do certame, estão Domagoj Antolic, do Lokomotiva, com 4 tentos, e logo atrás aparecem dois atletas do Dinamo. Mario Situm e Ante Rukavina somam 3 gols cada. 

Resultados 
Lokomotiva 0-0 Rijeka
Slaven 3-2 Inter Zapresic
Karlovac 2-2 Cibalia
Lucko 1-2 RNK Split
Osijek 0-4 Dinamo Zagreb
Hajduk Split 4-0 NK Zagreb
Varteks 2-2 Istra Pula
Sibenik 1-1 Zadar

Nenhum comentário: