domingo, 20 de novembro de 2011

Descraques: Vinnie Jones

Foto: Daily Mail
Ele era carniceiro, estouradinho e jogava para a torcida: Vinnie Jones chegou até a apresentar uma série de chamada "Soccer´s hard men" na tv inglesa, tamanha reputação como detonador. Conheça a história do zagueiro que ganhou fama de brutamontes e virou ator de Hollywood

Ex-zagueiro e volante dos bons com passagens por Wimbledon, Leeds, Sheffield United, Chelsea e QPR, Vinnie Jones era assumidamente chegado em uma pancadaria. Seus chutões, caretas e intimidações baratas marcaram época na Inglaterra no fim dos anos 1980. Ainda hoje é ícone de rispidez e canelagem gratuita dentro do universo do futebol inglês.

Pois bem, Vinnie começou a aleijar seus primeiros amiguinhos da carreira no Wealdstone, lá nos idos de 1984. Com dois anos de serviços de açougue e miscelânea, foi contratado pelo Wimbledon, que queria um lenhador para o seu meio-campo. Encontraram o homem ideal para o serviço e ao lado de promessas como Winterburn, Wise, Thorn e Fashanu, Vinnie já deixava transparecer seu lado artista de cinema com pancadas inacreditáveis e uma violência quase Stallonesca. 

Este time do Wimbledon em especial ficou conhecido como The Crazy Gangpelo estilo de jogo desenfreado e bruto. Por incrível que pareça, venceram a FA Cup de 1988, em cima do Liverpool. O gol do título foi de Lowrie Sanchez, aos 37 do primeiro tempo.

Coitado do menininho!
(Foto: Mirror )
Sobrou até para uma criança no Leeds
Lá em 1989, o Leeds United, que estava na segunda divisão, queria se reerguer e botar respeito nos adversários. Adivinha só? Contrataram o serviço sujo de VJ para tentar voltar à elite inglesa.

Com sucesso e nomes como Gary Speed, John Hendrie e Gordon Strachan, os Whites disputariam a elite inglesa novamente em 1990. A passagem de Jones pelo Elland Road pode ser sintetizada com esta foto ao lado, onde um menino mascote do Leeds levou um carrinho por trás do marmanjo. Cadeia nele!

Reinado de terror em Stamford Bridge
Com uma guinada na carreira (e nas pernas dos oponentes), Jones resolveu passear pelo Sheffield em 1990 e por lá ficou uma temporada até acertar com o Chelsea. Pontapés e bicudas em Stamford Bridge durante 42 jogos. Sobrou até tempo para fazer 4 gols nessa passagem pelos Blues. 

Sobrou até para Cantona (Foto: Telegraph)
Nesse meio tempo gravou uma série para a TV inglesa chamada "Soccer´s hard men", com 12 histórias de jogadores que não economizavam na agressividade. Levou uma punição de seis meses pela Federação inglesa e posteriormente declarou que a FA deveria lhe dar uma condecoração por varrer a violência de fora dos estádios e levar para dentro do campo. Um exemplo notório de inteligência.

Depois de muitos hematomas, sangue e rock n´ roll no Chelsea, Vinnie retornou ao Wimbledon, onde se notabilizou como astro às avessas. Permaneceu lá até 1998, quando tomou o seu último destino como jogador, o Queens Park Rangers. Jogou apenas nove vezes e marcou um gol. O que pode parecer um fim de texto tem uma reviravolta. Com 12 expulsões, o lendário quebra canelas inglês pendurou as chuteiras.

O cartão mais rápido da história
Foto: Guardian
A lenda fica em torno das centenas de declarações infames, atitudes intempestivas e claro, pelos excessivos cartões e lesões infligidas aos jogadores dos outros times. Jones também detém o recorde de punição mais rápida da história do futebol, com três segundos de jogo: levou um cartão amarelo na partida entre Chelsea x Sheffield United em 1992. 

Ator de Hollywood
O sanguinário volante virou ator. Já em 1998 participou de Jogos, trapaças e dois canos fumegantes, de Guy Ritchie. Foi coadjuvante em filmes famosos como Snatch60 segundosSwordfishX-Men 3EurotripOs Condenados e Ano Um. Não contente como multi-homem, Jones também gravou um disco que ninguém deu bola chamado Respect, em 2002.

Por que é um descraque
Se Galvão Bueno narrasse os jogos do campeonato inglês na década de 90, certamente Vinnie Jones seria referência para Muntari, que segundo o narrador global bate muito. O zagueiro colecionou contusões infligidas nos adversários em todos os times que passou. Sua média de cartões mais baixa foi no ano que passou no Leeds, com apenas três amarelos. 


Felipe Portes é estudante de jornalismo, tem 23 anos e é redator na Trivela, além de ser o dono e criador da Total Football. Work-a-holic, come, bebe e respira futebol.

"O futebol na minha vida é questão de fantasia, de imaginário. Fosse uma ciência exata, seria apenas praticado por robôs. Nunca fui bom em cálculos e fórmulas, o lado humano me fascina muito mais do que o favoritismo e as vitórias consideradas certas. Surpresas são mais saborosas do que hegemonias.

No twitter, @portesovic.

3 comentários:

Nilton Kleina disse...

Baita postagem! Aí fica a dúvida: Vinnie Jones é o Cocito britânico ou é o contrário?
E faltou citar o "Penalidade Máxima" (Mean Machine), filme em que ele é um...jogador sarrafeiro!

Marcelo disse...

Maior jogador europeu.

Anônimo disse...

I like what you guys tend to be up too. This sort of
clever work and reporting! Keep up the awesome works guys I've incorporated you guys to my blogroll.

My homepage :: best value electric toothbrush