sexta-feira, 4 de novembro de 2011

O Evangelho segundo o flamenguismo

Arte: Globo Esporte.com
Arthur Chrispin, @achrispin
De Recife-PE

Participar do blog do Felipe Portes não é uma honra, mas é uma galhofa. No meu caso, estas coisas se confundem. Falarei sobre o fenômeno antropológico e religioso do Flamengo e seus súditos, os flamenguistas, uma seita arrogante, bipolar e oscilante que é muito divertida quando se pronuncia de maneira racional [quase nunca]. De qualquer maneira, este ano de 2011- que ainda não acabou - se pronuncia como um ano típico para os Flamengos.

Baseado nisso, discorreremos sucintamente sobre o Evangelho Segundo o Flamenguismo de 2011, em pequenas e parcas linhas:

I - Não terás outros Deuses diante de mim
O time do Flamengo serviu apenas a um Deus nesta temporada, o Deus "pojeto". Esta divindade que justifica tanto as vitórias épicas [5-4 sobre o Santos], como os empates xexelentos [inúmeros] e derrotas vergonhosas [0-4 para La U e 1-4 para Atlético-GO, ambas no Rio]. Assim, em nome do "pojeto", tudo éum mecanismo do destino, que ocorre para que o Flamengo possa exercer suas virtudes e encarar suas fraqueza. "Pojeto" é o Maomé rubro-negro de 2011.

II - Não tome o nome do Senhor em vão
O simples mandamento cuja tradução é "Flamengo é Flamengo". Exemplo: Os torcedores do Convidado - vulgo Fluminense - costumam se autodenominar time de guerreiros, e tentam debochar o Flamengo. Em vão. Quando se debocha do Flamengo, o bicho pega. Pelo menos esta mística ainda sobrevive.

III - Não farás para ti imagem esculpida
Sem o Maracanã, a grande imagem do Flamengo, que é a torcida, se desfez. Não dápra santificar um domingo no Engenhão. Aquele catolicismo futebolístico de ir ao seu teplo venerar os santos do passado como Junior, Adílio, Andrade, Raul, Zico e afins foi trocado pelo programa silvícola de ir ao estádio do Botafogo, que nada mais é do que uma reserva ecológica para abrigar os botafoguenses que ainda não foram extintos. O estádio Vazião - feito pelo IBAMA e doado ao Botafogo para fins da natureza- é o retrato mais opaco de onde um time com a força torcedora do Flamengo pode jogar. O Engenhão não tem identidade, o Engenhão é igual à água [insípido, inodoro, incolor], exceto por um ponto: ao contrário da água, o Engenhão é desnecessário.

IV - Honra teu pai e tua mãe
O Flamengo tem uma relação bipolar com seu pai - a torcida. Alterna momentos de grande honradez com alguns vexames dignos de virar estátua de sal. A torcida do Flamengo, esta entidade maníaco-depressiva que é humilde na dor e arrogante no amor, pena com a instabilidade do seu time.Nelson Rodrigues enxergaria um sem número de virtudes e defeitos no Flamengo atual [ou não, já que era quase cego]. Falando em Nelson Rodrigues, o Flamengo não honra em nada sua mãe, o Fluminense. Como um Édipo da Chatuba de Mesquita, o rubro-negro seviciou o Fluminense de todas as maneiras ultimamente, a ponto de perder apenas um dos últimos quinze jogos. Um matricídio futebolístico.

V - Não matarás
Este é um mandamento que a equipe rubro-negra não segue.Pelo menos 90% dos 33 milhões de rubro-negros já teve um princípio de infarto nesta temporada 2011. Os meliantes são sempre os mesmos: Welinton e sua capacidade incrível de cagar qualquer jogada minimamente fácil, o popular Toque de Sadim; Willians, o godzilla do futebol brasileiro - pois destrói como ninguém, mas construir nunca; e Leo Moura, que depois que deu mole pra caramba, perdeu a Perlla e virou um tremendo vacilão nunca mais acertou um passe. Este trio foi responsável pelo quase assassinato de milhões de rubro-negros. Para completar o 288 - Formação de Quadrilha - inclua os reservas descerebrados como Gustavo Holyfield, Fierro Funcionário Público e outros menos cotados.

VI - Não cometa adultério
O time do Flamengo é craque em subverter isso.E não estou falando das estripulias que ocorrem desde o tempo de Adrianight e Goleiro Bruno; O rubro-negro é pródigo em trair convicções alheias: Não tem chances de título? Vai lutar pela taça. Tem chances de ser campeão? Olha a zona de rebaixamento ali. Por isso, nunca convém subestimar o Flamengo, porque quando menos se espera ele coloca um chifre nas suas convicções.

VII - Não roubarás
A convicção do ludopédio brasileiro é de que o Flamengo é o time da Globo, o time do roubo, o time da imprensa. Se isso for verdade, o Brasileirão 2011 é da Record, porque o Flamengo nunca tomou tanta pernada de anão quanto nesse brasileiro. Nenhum pênalti marcado a favor, vários gols legítimos anulados, expulsões repletas de mirabolância e coisas afins. Óbvio que o Flamengo não foi só prejudicado, também houve erros a favor do rubronegrismo, mas para quem é intitulado pelo alheio ululante como time da Globo, o Ibope está muito baixo em 2011.

VIII - Não cometerás falso testemunho
Este é o ponto nevrálgico do Flamengo em 2011. Muitos falsos testemunhos em campo. Welinton comete o falso testemunho por não ser zagueiro, Renato Abreu idem por não ser meio-campista e há diversos coadjuvantes que ferem este mandamento. O time ganha de forma improvável e perde em circunstâncias igualmente improváveis. E isso é muito Flamengo, não só em 2011, mas em qualquer ano.

IX - Santificará o teu descanso
Se tem uma coisa que não foi santificado pelo Flamengo foi o descanso. O descanso dos torcedores foi sempre atormentado por jogos emocionantes, seja pelo lado bom, seja pelo lado ruim. Perder partidas ganhas, ganhar partidas perdidas, errar passes fáceis, acertar passes impossíveis. O Flamengo foi tudo isso, só que ao contrário.

X - Não cobice a mulher do próximo
O campeonato de 2011 não é, nem nunca foi do Flamengo. Até o momento, faltando 5 jogos, o time está há 6 pontos do líder e cobiçando a mulher dos próximos - Corinthians, Vasco, Fluminense, Botafogo, SP e Inter... Se no fim desta cobiça o Flamengo conflagrará seu objetivo, dia 04 de dezembro saberemos.

Nenhum comentário: