terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Desafortunados: Taribo West

IIIH, NOJEEEENTO! (Nairaland)
Caio Dellagiustina, @caio03
De Itu-SP

Em uma época em que Cristiano Ronaldo e Neymar fazem sucessos com seus cabelos extravagantes e comportamento duvidoso, poucos lembram de um penteado que marcou uma geração (Winning Eleven) e assustou criancinhas durante a década de 1990. Taribo West, um carrasco brasileiro que nasceu na Nigéria, foi ainda jovem para a Europa é lembrado muito mais por seus cabelos verdes do que pelo seu bom futebol.

Depois de dois anos no Julius Berger, de seu país natal, West partiu para a França, porta de entrada para muitos africanos na Europa. Seu primeiro time no velho continente foi o Auxerre, em 1993. Em quatro anos no clube foram mais de 70 jogos. Porém, sua passagem pela equipe francesa não foi nem de longe comparada com sua participação nas Olimpíadas de 1996.

Junto de astros como Kanu, Babangida, Okocha, Amokachi e Babayaro, West era referência na zaga que tirou a grande chance do Ouro Olímpico para o futebol brasileiro. As Águias Verdes eliminaram o Brasil na semifinal com o extinto gol de ouro, marcado por Kanu. Se serve de consolo para alguns, a Nigéria derrotou a Argentina na final.

Taribo até jogou na Inter. Jogou? (Football Tea)
A participação de West nos jogos de Atlanta rendeu respeito por diversos grandes clubes. Permaneceu mais um ano no Auxerre, o zagueiro foi contratado pela Internazionale, que contava no seu elenco com Ronaldo e Roberto Carlos. Porém, na Itália, Taribo não rendeu o que dele se esperava. Seu desrespeito com o técnico Mircea Lucescu, devido suas subidas sem nexo ao ataque, no melhor estilo Lúcio nos tempos áureos de Bayern. Essa desavença foi a gota d’água para que ele saísse da Inter. Quando se esperava uma transferência para Inglaterra ou Holanda, West assina simplesmente com o maior rival da Inter, o Milan.

No esquadrão rossonero ele foi mero espectador, isso porque, em uma temporada, o zagueirão nigeriano entrou em campo apenas quatro vezes. Era hora de deixar a Itália. Partiu em 2000 para a Inglaterra, para jogar no modesto Derby County. Não se firmou e acertou contrato com o Kaiserslautern, justamente numa boa época do time alemão, que vinha de boas campanhas e um recente título na Bundesliga.

Mas tantas mudanças não fizeram bem a Taribo, que viu sua carreira desandar. Em 2002 foi para o Partizan. Os dois anos na Sérvia não trouxeram o bom futebol que o consagrou anos antes, obrigando-o a ver como uma das últimas soluções partir para o “mundo árabe”, até então com pouca visibilidade. No Al Arabi, West foi só expor seu excêntrico penteado pois futebol que é bom... Saiu do clube sem fazer nenhuma partida.

OLHA ESSE CABELO! Foto: Fora da Súmula
Retornou à Inglaterra para jogar na terceira divisão, pelo Plymouth, mas pouco atuou. Depois disso ainda regressou ao seu primeiro clube, Julius Berger e encerrou a carreira, ainda cedo, com 35 anos no Paykan, do Irã.

Apesar do bom início de carreira, West não despontou como se esperava para o futebol. Seu temperamento o prejudicou quando sua carreira explodia. Ainda assim ficará marcado como um grande desafeto para os brasileiros e o zagueiro mais contratado da história do Winning Eleven 4. Fora as tranças...



Nenhum comentário: