domingo, 6 de novembro de 2011

Fomos campeões: Zenit 2007-08

Pogrebnyak e o grande Zenit campeão da Copa Uefa em 2008 (Detriva Blog)
Felipe Portes, @portesovic
De São Paulo-SP

Numa edição marcada por surpresas interessantes classificadas para a decisão em Manchester, a Copa Uefa de 2007/08 teve como campeão o emergente Zenit, num desfecho que certamente não era previsto, ao olharmos para a fase preliminar. Contudo, apesar da controvérsia envolvendo o duelo contra o Bayern nas semifinais, não deixa de ser uma história interessante a ser contada. 

Tudo começou com o quarto lugar na Premier League russa em 2006 (o calendário russo era idêntico ao brasileiro na ocasião), quando o CSKA levantou a taça e foi seguido por Spartak Moscou e Lokomotiv, antes dos rapazes celestes de St. Petersburgo. O consolo para uma campanha nacional mediana foi justamente a vaga para a Copa UEFA supracitada. Nela, os Bomzhi (algo como andarilhos em russo) se consolidaram como uma das novas forças impulsionadas por injeção financeira (da Gazprom neste caso), uma mania ainda em crescimento naquele ano no cenário europeu.

O primeiro passo para este reconhecimento veio contra o Zlaté Moravce, da Eslováquia, na segunda eliminatória. Dois passeios, fora e dentro de casa. 2-0 e 3-0 selaram o ingresso da celeste soviética ao próximo round. A seguir, viriam os belgas do Standard Liège, supostamente aumentando o grau do desafio do Zenit rumo à fase de grupos. No agregado, 4-1, com 3-0 no Petrovsky e 1-1 em Liège, em um confronto de certa forma simples para os russos.

Avançando para a chave A, ao lado de Everton, Nuremberg, AZ Alkmaar e Larissa, Arshavin e sua intrépida trupe por pouco não foram eliminados, ao ficarem na terceira colocação, somando cinco pontos em quatro jogos. Entretanto, a esperança ainda estava viva, mesmo com más apresentações neste round do certame. A única vitória dos bomzhi foi justamente contra o Larissa, por 3-2, fora de casa. Os gols foram marcados por Pogrebnyak, Zyrianov e Fatih Tekke.

Os muitos empates neste estágio não empolgavam muito a torcida e nem a diretoria, que acreditavam em melhores atuações e resultados. De tanto sofrer, na fase de 16 avos de final o Zenit reagiu, logo contra o Villarreal. Em difícil confronto em St. Petersburgo, Pogrebnyak fez o gol solo dos mandantes aos 64 minutos, dando tons de drama ao duelo contra os espanhóis.

Na volta, no El Madrigal, novamente Pogrebnyak deixou a sua marca, aos 31. O submarino amarelo bem que virou a parada, com Franco e Tomasson, no último minuto, mas a regra do gol fora de casa classificou os russos, já devidamente motivados. Para quem pensa que a missão ficou mais fácil a seguir, o Zenit teve o Marseille como adversário nas oitavas.

Os franceses estavam num processo de reestruturação e amargavam a hegemonia do Lyon no Francês. Jogando pela primeira perna do confronto, o Marseille emplacou 3-1 nos russos, com doblete de Cissé e outro de Niang. Arshavin descontou para os visitantes que sem sombra de dúvida ficaram em maus lençóis para tentar uma virada em território soviético.

Quem não tem Ronaldo, ataca com Pogrebnyak. O grandalhão mais uma vez foi fundamental para o triunfo azulado, marcando dois tentos (aos 39 e 78) e conduzindo o Zenit ao inédito papel nas quartas (2-0), deixando um forte Olympique de Cana, Nasri, Valbuena, Niang e Cissé para trás. Outra vez, se aproveitando do gol fora de casa, marca registrada dos russos na disputa.

Num instante raro de tranquilidade do Zenit na Copa UEFA, o Leverkusen foi atropelado em casa, pelo placar de 4-1, na BayArena. Arshavin iniciou os trabalhos aos 20, Kiessling empatou aos 31 e depois disso só ladeira abaixo para os germânicos. Pogrebnyak, Anyukov e Denisov resolveram o cotejo antes da marca de 15 da etapa complementar. Para a volta, no Petrovsky, Bulykin marcou para o Bayer e ao menos honrou seu grupo, 1-0.

Imagem do duelo polêmico entre Zenit-Bayern, que levantou suspeitas de corrupção dos alemães (Daily Mail)
O momento crucial da caminhada
O oponente da vez era o poderoso Bayern, que passeava pela Copa UEFA naquela temporada. Poderia em qualquer circunstância significar o fim do sonho para os russos, mas não nesta em especial. O primeiro capítulo da novela foi disputado na Allianz Arena em Munique, no dia 24 de abril de 2008. Ribéry abriu o marcador aos 18 e viu Lúcio descontar (contra) para o Zenit.

Para o embate no Petrovsky, o inesperado aconteceu. Mas vamos relatar o que aconteceu extra-campo. Em reportagem do Daily Mail, ainda em 2008, foi levantada a suspeita de uma "venda" do resultado favorável aos soviéticos. O Bayern teria aceitado perder a partida por 4-0, pelo valor de 50M de euros, acusava o promotor espanhol Baltazar Garzon, responsável pela Operação Troika. A ação envolveu 400 agentes da polícia espanhola e conseguiu deter cerca de 20 membros da máfia Tambovskaya, oriunda de St. Petersburg, nas cidades de Mallorca, Málaga, Madrid e Alicante, numa tacada só.

Os mafiosos foram detidos sob acusação de lavagem de dinheiro, tráfico de armas e entorpecentes, além de homicídios. O burburinho envolvendo uma suposta entrega por parte dos alemães fez sentido ao analisarmos a participação da defesa bávara nos tentos sofridos. Oliver Kahn falhou na metade dos gols e dividiu a parcela de culpa com o seus companheiros de setor, que também não colaboraram muito para evitar um massacre por parte do Zenit. *OBS: Nenhum vídeo deste jogo foi encontrado, todos foram removidos pela UEFA.

A diretoria soviética afirmou na ocasião não ter envolvimento e ainda declarou que o caso não passou de "uma ofensa às raízes do clube", em coletiva pouco depois do estouro do escândalo. Fecha parênteses, segue com o relato dentro das quatro linhas. Não é preciso dizer que nenhuma providência foi tomada pela UEFA, que investigou 26 partidas daquela edição da Copa UEFA e não teve evidências conclusivas. (Que surpresa)

Pogrebnyak inaugurou o marcador aos 4, Zyrianov aumentou aos 39, Fayzulin fez o terceiro aos 54 e o matador Pogrebnyak dobrou o seu feito aos 73, aproveitando-se da estranha fragilidade defensiva dos oponentes para chegar às redes. A façanha deixou a cidade de St. Petersburgo em festa, com fãs enlouquecidos como nunca antes na história da Rússia pós-dissolução da URSS.

Com vaga garantida na decisão, no estádio City of Manchester, o Zenit ainda teria de passar pelo Rangers para se sagrar campeão da Europa. Tarefa não muito desafiadora diante dos passados triunfos nas fases anteriores.

Em 14 de maio de 2008, Denisov (72´) e Zyrianov (93´) marcaram os gols que deram a taça UEFA aos celestes soviéticos. Arshavin foi o melhor homem em campo, sempre com muita criatividade e velocidade pelo lado bomzhi. O Rangers não foi páreo para os poderosos rapazes de St. Petersburg, como não haveria de ser depois da grande superação de seu rival naquela noite.

O legado ficou nos lados do Petrovsky. Um título nacional depois, o Zenit é hoje a principal força na Rússia (tanto como time a ser batido quanto no sentido de investimento) e colhe os frutos daquele 2008 inesquecível.
Dick Advocaat é erguido pelos atletas na festa do título europeu (UEFA)
Zenit: Malafeev, Krizanac, Anyukov, Sirl e Shirokov. Tymoschuk, Zyrianov, Fayzulin e Denisov. Arshavin e Pogrebnyak. Téc: Dick Advocaat

Rangers: Alexander, Weir, Broadfoot, Papac e Cuéllar. Whittaker, Ferguson, Hemdani e Thomson. Davis e Darcheville. Téc: Walter Smith

Todos os jogos do Zenit

2ª Pré-eliminatória
Zlate Moravce 0-2 Zenit
Zenit 0-3 Zlate Moravce

Play-off
Zenit 3-0 Standard Liège
Standard Liège 1-1 Zenit

Fase de grupos
Zenit 1-1 AZ Alkmaar
Larissa 2-3 Zenit
Zenit 2-2 Nuremberg
Everton 1-0 Zenit

16 avos de final
Zenit 1-0 Villarreal
Villarreal 2-1 Zenit 

Oitavas de final
Marseille 3-1 Zenit
Zenit 2-0 Marseille

Quartas de final
Leverkusen 1-4 Zenit
Zenit 0-1 Leverkusen

Semifinais
Bayern 1-1 Zenit
Zenit 4-0 Bayern

Final - 14 de maio de 2008 - City of Manchester Stadium
Zenit 2-0 Rangers


Zenit st vs Rangers Final match por Haja91

Nenhum comentário: