sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A triste ROTHina de um time sem culhões

Lance da derrota gremista no Olímpico na noite de quinta (NovoHamburgo.org)
Por Zé Eduardo Morais

Imagine você, homem heterossexual, em pleno gozo de suas faculdades mentais, ver a Scarlett Johansson desfilar despida por sua casa, apenas com um indiscreto celular à mão, e não sentir vontade de deflorar sua tez branca, regojizando-se em suas coxas quentes tal como um viking faria com um leitão à pururuca banhado na manteiga.

Impossível? Não para o Grêmio. O tricolor empilha desde 2009 – à exceção do segundo turno de 2010 – uma sequência pavorosa de partidas insossas, ruins e sem ambição alguma. Um amontoado cada vez mais milionário e formado por supostos craques que não sentem atração em estufar os cordéis das cidadelas alheias. Um bando de vagamundos que vive de uma masturbação estéril no meio do nada.

A partida de ontem contra o Botafogo, pela 25ª rodada do DILMÃO 2011, foi mais uma prova desse pensamento que povoa muitas das mentes gremistas espraiadas Brasil afora. Enquanto o traiçoeiro alvi-negro carioca se postava em seu campo sem ultrapassar a zona do agrião, o Grêmio, com uma organização digna das passeatas do PSTU, tentava atacar o adversário inerte. Contudo, seus arremates a gol se destinavam ao infinito, curando qualquer insônia.

Durante o jogo, passei a conversar com o amor de minha vida – que obviamente é torcedora do Internacional, pois a autoflagelação é uma constante na vida do gremista. Enquanto discutíamos sobre o vazio das mentes da juventude de nossa geração, via um acéfalo miolo de zaga tricolor. Há alguns dias, alguém questionou se existe algum atentado com aviso prévio, em virtude das matérias do 11 de Setembro. Eu respondo: há, sim. Uma escalação que conste com Edcarlos e Rafael Marques é o mais prévio sinal apocalíptico.

O gol anotado pelo maior ser humano vivo que calça chuteiras, por parte do Botafogo, tocou o terror necessário na claque gaúcha. Imberbes que passaram a delirar com uma possível vaga à Libertadores logo viram o fantasma do rebaixamento pairando sobre suas cabeças. Porque para esse time jogar de forma decente, somente na base do terrorismo da queda iminente.

Jesus, nas Sagradas Escrituras, diz: ‘Como é bom ver em campo um centroavante que entende sua profissão e que se arrisca diante dos zagueiros, salta como um cavalo açoitado pelo marmelo da infâmia, joga o cotovelo para cima do defensor como se sua única obrigação fosse marcar o gol, mesmo que pelo caminho houvesse uma morte’. Ele fala de Leandro Damião, um centroavante. Esse ser que o Grêmio não forma há 10 anos e se obriga a contratar André Lima e Brandão.

Não bastasse mais um revés, sou obrigado a ver Douglas dando chutes bisonhos e passes erráticos. Então, formadores de opinião escrevem e dizem que não devo vaiar o Douglas, pois não se vaia craque. Eu vaio quem eu quiser, seus pulhas! Ele ganha um salário de SEIS DIGÍTOS a cada 30 dias para fazer seu trabalho decentemente. Enquanto se comportar feito um saco de pulgas gordo e preguiçoso, irei vaiá-lo.

Se essas JABIRACAS DE TETA tivessem o mínimo de hombridade ou honrassem o saco que Deus lhes conferiu, eu os aplaudiria. Mas como conviver com um sorriso no rosto se os meias e avançados tricolores não sentem tesão pelo gol, se não arrematam com o mínimo de destreza, se vivem de chinelinho e fazendo festa (abra$$o, Gabriel)?!

Torcer para um time ruim pode até ser divertido. Mas torcer para um time que teima em não se aproximar no Nirvana e coleciona fracassos retumbantes é broxante – e não há Scarlett Johansson que faça a pipa levantar vôo.

Coloradas
No domingo, o Inter enfrenta o Galo, no Beira-Rio, sem Leandro Damião e com Bolívar, Jô e/ou Delatorre. Haja desfribilador!

Tricolores
O Grêmio vai a Santa Catarina enfrentar o Avaí, tentando imitar a Invasão de Laguna e proclamar a República Juliana. Mas com um elenco de Bento Manueis, é mais provável um Massacre dos Porongos.

Cavalo no obelisco
Único gaúcho vivo nas séries inferiores do Brasileirão, o Juventude vai a São Paulo enfrentar o Mirassol pelo primeiro mata-mata da Série D.

Bola na fogueira
Conseguirão Celso Roth e Dorival Junior manterem Gilberto Silva e Bolívar nos bancos de Fernando e Juan após as respectivas voltas dos guris?

Entrando de sola
Há três formas de você ir diretamente ao Inferno: não separando o lixo, estacionando o carro na esquina e cobrando escanteio curto.

Nenhum comentário: