terça-feira, 28 de junho de 2011

Pode dar trabalho: Málaga

Van Nistelrooy, o mais badalado dos reforços da equipe de Andaluzía (A bola.pt)
Por Felipe Portes

Sempre conhecido como clube de metade da tabela no Campeonato espanhol, o Málaga teve seu auge no início da década de 2000, quando tinha cofres "saudáveis". Esta "saúde financeira" resultou na vitória da Taça Intertoto de 2002 (torneio que classificava equipes para a extinta Copa Uefa), juntamente com Fulham e Stuttgart*. A campanha na Copa Uefa seguinte parou nas quartas de final, nas penalidades, pelas mãos do Boavista. 

Até o final da década passada o clube sofria com uma grave crise financeira e foi rebaixado na temporada 2005/06. O retorno à Liga BBVA veio somente em 2007/08 com o vice-campeonato da Liga Adelante. Mas foi preciso dois anos para a virada no destino da agremiação acontecer. Em julho de 2010, o sheik Abdullah Al Thani comprou o Málaga de Lorenzo Sanz pelo montante de 36 milhões de euros.

Tão logo, as contratações vieram para a construção de um elenco competitivo. Em 2010/11 chegaram Martin Demichelis (emprestado pelo Bayern), Julio Baptista, Sergio Asenjo, Kris Stadsgaard, Albert Luque, Ignacio Camacho e Enzo Maresca. Da zona de rebaixamento na metade da temporada para o 11o lugar ao fim do certame, mostrando que a reação não só era possível, como aconteceu. E daí que o amigo leitor pensa: vai lutar para não cair de novo? E este escriba responde: De jeito maneira!

A reestruturação do grupo boquerone (anchova, em espanhol) começa com o nome de Ruud Van Nistelrooy, como bem dito neste texto escrito há um mês. Depois do holandês, mais atletas de renome internacional desembarcaram em La Rosaleda. E aí vai a pancada: Jerémy Toulalan (ex-Lyon), Joris Mathijsen (ex-Hamburgo), Nacho Monreal (ex-Osasuña), Diego Buonanotte (ex-River) e ainda especula-se que Joaquín (Valencia) chegue nos próximos dias.

É cedo para dizer que o Málaga pode ser o novo "galáctico" no Campeonato Espanhol, mas a gastança do sheik não deve parar por aí. Vamos combinar o seguinte, então: novo Manchester City? Em questão de elenco, podemos colocar o clube da Andaluzia entre os cinco melhores na Liga ao lado de Valencia, Villarreal e Sevilla, já que Real e Barça estão anos-luz à frente. 

Se com elenco mediano o treinador Manuel Pellegrini conseguiu ficar na metade da tabela, que dirá com um plantel completo e competitivo como está sendo montado. O torcedor que acompanha La Liga, pode colocar na sua listinha: essa temporada, o Málaga pode dar trabalho!

Nenhum comentário: