terça-feira, 5 de julho de 2011

Primeira rodada bem fraca na Copa América

Por Caio Dellagiustina

Quem esperava ver Messi, Sanchéz, Neymar, Falcão e outros mais brilharem na primeira rodada, se decepcionou. Os seis primeiros jogos foram fracos, não salvou um time sequer.

Começamos pela estreia de los Hermanos. A Argentina rendeu pouco com os três atacantes. Messi tentou resolver, até Batista colocar ele mais recuado no segundo tempo. O time só melhorou um pouco com a entrada de Agüero. Banega foi um destastre, não só pelo gol que concedeu à Bolívia, mas pelos diversos passes errados também. A zaga ainda não realmente testada, mas demonstra continuar fraca.

Ah...a Bolívia atacou. Duas vezes. E marcou um gol, nada mais.

Destaque: Edivaldo. O brasileiro com cidadania boliviana estragou a festa argentina com um gol de calcanhar.


No segundo jogo do grupo, a Colômbia, franca favorita contra a seleção reserva da Costa Rica, pressionou até marcar, já no fim do primeiro tempo. Depois disso, ficou com preguiça do jogo. Ainda mais com a expulsão de Brenes, ainda no primeiro tempo. A Costa Rica, percebendo que não tinha condições de atacar, ainda mais com um jogador a menos, pouco criou e a primeira vitória da competição saiu para a equipe colombiana.

Destaque: Freddi Guarín. Foi o cérebro no meio campo colombiano.


Pelo grupo B, ninguém saiu do zero. Paraguai e Equador até criaram oportunidades, mas pecaram na finalização. Do lado paraguaio, pesou a saída de Barreto, lesionado, ainda no primeiro tempo. O empate até foi justo, mas um golzinho para cada lado não seria ruim.

Destaque: Chucho Benítez. Enquanto teve gás, infernizou a zaga paraguaia


Já no jogo do Brasil...ahh o Brasil. Não saiu de um empate com a Venezuela. E o pior, as duas maiores esperanças brasileiras não renderam nem um pouco do esperado. O melhor jogador da seleção, Pato, saiu graças à Mano Menezes que errou ao trocar Robinho por Fred e quando tentou voltar atrás, sacou o camisa 9.

Pode se perceber, o mesmo que aconteceu com Dunga na Copa do Mundo. Faltou jogadores que se encaixassem no esquema da seleção. Hulk seria uma boa pois poderia substituir qualquer um dos pontas (Neymar ou Robinho), sem precisar alterar jogadores ou esquema de jogo.

Destaque: Pato. Era o melhor jogador do Brasil, só Mano Menezes que não percebeu isso.


E no grupo C, pelo menos os gols saíram. Uruguai, um dos favoritos da competição,  não passou de um empate com o Peru, que teve chances para ganhar o jogo, principalmente no segundo tempo. O ataque uruguaio formado por Cavani, Suaréz e Forlán pouco produziu. No Peru, pouco podia se esperar, afinal dois dos melhores jogadores ficaram de fora por lesão, Farfán e Pizarro. Porém o time se virou bem com  Guerrero no ataque e no segundo tempo, com a entrada de Vargas o time ficou ainda mais perigoso.

Destaque: Guerrero. O nome é sugestivo, pois foi exatamente o que ele foi. Sozinho, enfrentou toda a zaga uruguaia e foi premiado com um belo gol.


No último jogo da primeira rodada, o Chile venceu o México por 2 a 1. Mas assim como os outros grandes, enfrentou dificuldades, tanto que iniciou perdendo mas graças a apatia mexicana, os chilenos foram pra cima e viraram o jogo.

Destaque: Vidal. O chileno ajudava no ataque e na defesa. Fez o gol da virada e da vitória do Chile.

Agora, só nos resta esperar que a segunda rodada não dê tanto sono como a primeira.

Nenhum comentário: