terça-feira, 26 de julho de 2011

Desafortunados: Ebi Smolarek

Foto: Poland Soccer
Por Felipe Portes

Você deve ter de cabeça vários nomes de jogadores que apareceram como promessas, brilharam no início ou em determinado ponto de sua carreira, mas depois caíram no ostracismo das más atuações e da decadência profissional. Para não sermos completamente injustos com alguns destes nomes, nós da Total Football abrimos mais esta série de postagens sobre os Desafortunados do esporte. 

Começamos pelo polonês Ebi Smolarek, atacante que teve ótima fase no Borussia Dortmund até a metade da década passada, mas que degringolou e entrou em queda livre. Mas vamos pelo começo desta fábula:

Euzebiusz Smolarek, ou Ebi, como ficou conhecido, teve seu primeiro contato com o futebol nas categorias de base do Feyenoord. Chamou atenção pela sua velocidade e pela sua magreza, características pouco presentes em atacantes de sucesso. Filho de Wlodimierz Smolarek, famoso ponta polaco presente nas Copas de 1982 e 1986, Ebi também não tinha boa estatura, mas compensava com o faro de gols aguçado e sua movimentação intensa nas adjacências da grande área.

Jogou profissionalmente pela equipe holandesa até 2004, quando foi contratado pelo Dortmund, que vinha de uma das fases mais gloriosas de sua história. Foram quatro temporadas de empréstimo e a possibilidade de alinhar junto a jogadores renomados como Lars Ricken, Sebastian Kehl, Tomas Rosicky, Christian Wörns e o brasileiro Ewerthon. Ao todo, disputou 81 jogos pela agremiação germânica, fazendo 25 gols, o seu recorde. Contudo, ao fim da temporada 2006/07, suas atuações já não faziam mais frente àquele garoto entusiasmado que se divertia no Feyenoord. 

Vendido ao Racing Santander, amargaria uma zica homérica no pequenino clube espanhol. Falta de pontaria, passes errados e deslocamento tático fizeram com que Ebi jogasse por 34 vezes pelo Racing, deixando apenas quatro gols. Aquela média que impressionava nos seus tempos de juvenil na Holanda caía por terra. Visado pelo Bolton, foi novamente emprestado. No clube inglês, a sua inoperância foi determinante. 12 jogos e apenas um gol. "Que Smolarek trouxemos?" - pensaram os dirigentes dos Wanderers.

Sem espaço nenhum no cenário europeu, Ebi chegou com pompas de ex-astro que precisava recuperar a alegria de jogar futebol, no Kavala, da Grécia. Na temporada 2009-10 pouco fez pela equipe helênica, cavando sua aposentadoria por déficit técnico. Importante salientar que dos campeonatos disputados em sua carreira, o Gregão foi o que menos ofereceu desafio ao polonês, escancarando sua decadência. O engraçado é que Smolarek ainda tem 30 anos.

Para a temporada de 2010/11, a volta para casa. Contratado pelo Polonia Varszawa, nosso desafortunado de hoje adentrou os relvados em 23 partidas, balançando as redes em sete oportunidades. Com média de 0.30 gols por jogo em sua primeira experiência em times do seu país natal, pode ser que os tempos de tormenta estejam perto do fim. 

Figura importante para a seleção polonesa ainda nos dias de hoje, Smolarek tem 20 gols em 47 jogos por sua nação. Tendo participado da Copa de 2006 e da Euro 2008, seu sucesso internacional talvez seja uma das únicas coisas a se comemorar ao longo desses quase 11 anos de carreira.


Nenhum comentário: