sexta-feira, 8 de julho de 2011

A volta do Queens Park Rangers



Por Rodolfo Zavati

Ian Gillan (Deep Purple), Mick Jones (The Clash), Glen Matlock (Sex Pistols), Alan Wilder (Depeche Mode), Robert Smith (The Cure) e Pete Doherty (The Libertines). Não, não estamos cobrindo um encontro musical entre figuras de épocas e estilos distintos do rock inglês. A lista acima mostra alguns torcedores ilustres do Queens Park Rangers, tradicional clube londrino que está de volta à Premier League após quinze anos de ausência.

A promoção veio graças ao título da League Championship, que representa o segundo degrau na pirâmide do futebol inglês. Com 88 pontos em 46 jogos, a equipe precisou esperar uma decisão fora dos campos antes de comemorar: a contratação do meia argentino Alejandro Faurlín estava sob investigação da FA e poderia custar a perda de pontos ao clube. Julgado, coube ao clube pagar uma multa como pena, enquanto o título e o acesso foram confirmados com a pontuação ganha em campo. Dentro das quatro linhas, o destaque ficou por conta do meia marroquino Adel Taarabt. Após sair do Tottenham sem deixar saudades, Taraabt tornou-se líder e referência técnica da equipe, apesar dos seus 22 anos.

Popularmente chamado de QPR, the Rangers ou the Hoops, o clube de 1882 é sediado em Shepherd’s Bush, oeste londrino. Sendo assim, a rivalidade com os vizinhos Chelsea, Fulham e Brentford é grande. Os quatro fazem os West London Derbies, que ultimamente estavam limitados aos duelos Chelsea x Fulham.

Apesar de tradição e torcida, o Queens Park Rangers não tem uma sala com fartura de taças. A maior delas veio em 1967, conquistada de forma épica. O QPR enfrentava o West Bromwich Albion pela final da Copa da Liga, num Wembley com quase cem mil torcedores. Até os quinze minutos do segundo tempo, o placar marcava 2-0 para o West Brom. Em trinta minutos incríveis, os Rangers marcaram três vezes e viraram uma decisão que parecia liquidada.

Embora a Copa da Liga seja o único torneio maior conquistado pelo clube, outras campanhas memoráveis marcam sua história. Com o melhor time de sua história, apenas um ponto separou o Queens Park Rangers do título inglês na temporada 1975-76, que acabou ficando com o Liverpool.

Outro vice notável viria seis anos depois, quando uma derrota para o Tottenham frustrou os sonhos da equipe treinada por Terry Venables conquistar a Copa da Inglaterra. Venables, aliás, saiu direto do Queens Park Rangers para o Barcelona, após um quinto lugar na temporada 1983-84.

Acostumado com a condição de time ioiô, disputou sua última temporada na Premier League em 1995-96. Nos últimos anos, o clube foi adquirido por um consórcio de investidores bilionários, como o magnata indiano do aço Lakshmi Mittal e os chefões da Formula 1 Flavio Briatore (que vendeu sua parte) e Bernie Ecclestone. Como se vê, embora não haja expectativas de contratações bombásticas a lá Roman Abramovich, dinheiro não deverá ser problema para o QPR.

Nenhum comentário: