terça-feira, 19 de junho de 2012

Fomos campeões: URSS 1960

Foto: Blog da comunicação
Caio Dellagiustina, @caio03
De Itu-SP
[Especial Eurocopa]

Cinco anos após a primeira disputa europeia entre clubes, é dado o pontapé inicial para o torneio que viria a ser a segunda grande competição do futebol, somente atrás da Copa do Mundo. A Eurocopa surgiu 30 anos após o projeto inicial, logo após o término do primeiro mundial, no Uruguai, em 1930, que contou com apenas quatro europeus. Para mostrar que a Europa não precisava da FIFA para organizar uma grande competição, nasceu o Campeonato Europeu de Seleções.

Ainda com resquícios da Segunda Guerra, algumas seleções de grande importância como Alemanha Ocidental, Itália e Inglaterra preferiram ficar de fora e se reconstruir à participar desse torneio. Assim, 17 seleções começaram da primeira Eurocopa, que diferente do que vemos hoje em dia, não tinha o mesmo formato.

Disputado no formato de mata-mata, o certame começou com o duelo entre Irlanda x Tchecoslováquia para decidir quem se juntaria aos outros 15 concorrentes. Perdendo por 2 a 0 em Dublin, os tchecoslovacos golearam por 4 a 0 em Bratislava e avançaram.

As primeiras fases não tinham uma sede definida e era o que poderíamos chamar de eliminatórias. Assim, foram oito confrontos em jogos de ida e volta, um em cada país. União Soviética (atual campeã olímpica) 4x1 Hungria*, França 8x2 Grécia*, Romênia 3x2 Turquia*, Noruega 2x6 Áustria*, Iugoslávia 3x1 Bulgária*, Alemanha Oriental 2x5 Portugal*, Polônia 2x7 Espanha* e Dinamarca 3x7 Tchecoslováquia* fizeram os jogos das oitavas de final. Destaque para a disparidade de resultados, com embates marcados por goleadas, tendo o confronto mais equilibrado entre Romênia e Turquia, em que os romenos triunfaram no placar agregado por 3 a 2.

Na fase seguinte, os oito classificados se enfrentariam, nos mesmos moldes da fase anterior, com dois jogos, novamente um em cada país. Com isso, tivemos chaveados França 9x4 Áustria*, Portugal 3x6 Iugoslávia*, Romênia 0x5 Tchecoslováquia* e Espanha x União Soviética. Contudo, por ainda estar sob o comando do ditador Francisco Franco, a Fúria se recusou a viajar até Moscou, onde o comunismo imperava. Desta forma, a URSS avançaria direto à fase final. França, Iugoslávia e Tchecoslováquia também conseguiriam, com certa facilidade, a classificação para o decisivo quadrangular final.

*Placar agregado

Lance da final entre URSS x Iugoslávia (Foto: Futebol e cia ltda.)
Nessa fase, diferente do que havia até o momento, houve uma sede fixa. O país escolhido foi a França (em Marselha e Paris), único dos representantes no final four que não era esquerdista. Definidos, os confrontos seriam entre Tchecoslováquia x União Soviética e França x Iugoslávia. Melhor para soviéticos e iugoslavos que avançaram e disputariam o inédito título.

Na final, um jogo emocionante que só teve seu vencedor definido na prorrogação. Com destaque para o goleiro Lev Yashin e o artilheiro da competição, Viktor Ponedelnik, a URSS venceu por 2-1. Milan Galic abriu o placar aos 43 e a Iugoslávia não teve muito tempo para comemorar a vantagem. Slava Metreveli igualou o cotejo seis minutos depois. Arrastado até o tempo extra, a Euro 60 foi definida por Ponedelnik, restando sete minutos para as penalidades.

Um grande coincidência foi que, como o jogo começara as dez horas da noite de um domingo, no horário local, o gol do título saiu somente na segunda-feira, e o nome do autor do gol, Ponedelnik, significa justamente, segunda-feira, em russo.

Foto: O campo dos sonhos
Campanha: Quatro jogos, quatro vitórias. Nove gols marcados, dois sofridos.

Jogos:
Oitavas de final
URSS 3-1 Hungria
Hungria 0-1 URSS

Quartas de final*
Espanha desistiu de enfrentar a URSS

Semifinal
Tchecoslováquia 0-3 URSS

Final – 10 de julho de 1960, Paris – Parc des Princes
URSS 2-1 Iugoslávia 


Nenhum comentário: