sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Duzentos

Foto: UOL
Rodrigo Salvador, @novosomsalvador

Essa rodada deveria ter sido a número 200. Ou devia ter sido no dia 200/10/2012, algo assim. Quem se presta a ler este texto sabe exatamente quem são os dois personagens principais de hoje. Por isso eu pensei em tratar Zizao e Neymar de um jeito diferente, tipo imaginando um contra o outro no MMA. Só que eu não manjo nada de MMA, além de achar uma bosta, então vou falar só de futebol mesmo.

Neymar, o ousado e alegre, jogou com a 200. Zizao, o heroi do planeta Terra a começar pela China (apud testo do jose), jogou com a 200. Neymar, foi focalizado pelas câmeras 200 vezes. Zizao, 200 vezes também. Neymar deu uma carretilha ou lambreta, Zizao deu pedaladas ou 踩踏. Neymar fez um golaço no Atlético-MG, Zizao fez um golaço no coração de todos os torcedores pelo mundo afora. Zeizar saiu aplaudido de campo, Nimao também. Eu compararia os dois a uma dupla sertaneja, mas esse sertanejo universitário é um lixo completo então deixa pra lá.

O número 200 também apareceu na rodada quando contou-se as batidas do coração de torcedores de Palmeiras e Bahia. Esse jogo podia definir o campeonato lá embaixo. Não definiu. Colocou o Palmeiras na briga, ameaçou o Bahia. De quebra, alavancou o Sport e ainda trouxe Ponte, Flamengo e Lusa pra roer as unhas. Continua sendo difícil mudar, mas contornos dramáticos começam a aparecer. Eu poderia aproveitar o hype da novela da Globo pra comparar, inclusive usando Vasco e São Paulo como história paralela, mas como eu não tenho nenhum saco pra novela seria uma comparação retardada.

Em Curitiba, faltou um 0 pro 200 aparecer também. Um 0 depois do 20 na camisa que o Alex vestiu na quinta-feira, no Couto. Corre um boato que teve Coritiba x Náutico na quarta, mas acho que esse jogo não existiu. Existiu a volta do Alex, que nasceu e cresceu em Curitiba e agora vai fazer o que, segundo ele, sempre esperou pra carreira. Dá pra comparar com aquela música do Roberto Carlos, O Portão, e eu vou comparar porque a música é foda e porque eu posso pra sempre dizer ~aquele dia foi massa~.

Fugindo agora do 200, faço nota ao futebol gaúcho. É mais pra não deixar Fluminense x Grêmio de fora, mas não dá pra falar em jogo dos líderes em um campeonato que não tem "líderes", no plural. O Grêmio, rumo a mais um quase depois de 2009, e o Inter, com um elenco trilhardário ficando de fora da Libertadores, poderiam ser comparados com o Brasil na Fórmula 1 depois do Senna, justamente porque é uma bosta. Ou seja, o resumo desse texto é que o futebol é a única coisa legal que existe. E o Roberto Carlos.

TROFÉU 200: Alex no Coxa. Talvez ontem tenha sido um dos dias mais bonitos da minha vida como apreciador de futebol e inclusive já falei sobre no blog do El.

TROFÉU 002: Ambulâncias da Vila Belmiro. Não fosse por isso (e pelo 0x0 de Lusa e Fla) essa teria sido uma das rodadas mais legais dos últimos tempos.



Nenhum comentário: