segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O grande truque

Foto: Globoesporte.com
José, @zenascimento

ABRACADABRA! Quantas coisas já não tomamos como sendo um golpe de mágica? Aquela menina que passa na nossa frente e pela qual nos apaixonamos instantaneamente. Aquele trago que a gente toma e acorda, sem saber como, bem tranqüilo e acomodado em nosso próprio leito. Ou, ainda, aquele objeto qualquer que está em nossas mãos, mas que, em um mínimo de desatenção – um “oi” que respondamos, ou uma piscada mais comprida, simplesmente desaparece diante dos nossos olhos. E assim, magicamente, nos apaixonamos, damo-nos conta de nós mesmos ou nos enganamos. Pois mágica também foi essa rodada do MISTER-MZÃO 2012™.

Na verdade, talvez não tenha havido somente mágica, mas também grandes truques de ilusionistas da bola. Consideremos ambas, mágica e ilusão, como duas faces da mesma moeda.

Isto porque, por um lado, tivemos o truque do sumiço. Por exemplo: no sábado estavam programados três jogos, mas houve apenas um – a vitória do Palmeiras sobre o Cruzeiro (2-0). Serviu, basicamente, pra iludir os alviverdes imponentes no gramado em que a luta contra o rebaixamento os aguarda. Todos ficaram muito felizes com a vitória e com o fato de estarem, agora, a apenas quatro pontos do Bahia (que, dizem, empatou com o Corinthians em 1-1. Não vi).  Apenas parece que não estão vendo o Sport na frente deles. É aquilo de estar ali o tempo todo, só você não viu (beijo, Bahia; beijo, Pitty). Tinha uma outra coisa que ia falar, mas não me recordo... Enfim. (Gargalhada honesta do editor)

No domingo, havia o restante da rodada. Mais sete jogos e... Não, perae. Ué?! [Pega a tabela de jogos] Um, dois, três, quatro, cinco. Ah, sim, desmembraram a rodada, e os jogos Vasco x Internacional e Figueirense x Botafogo (risos) foram parar na quarta-feira. Que mágico. Enfim, o que era uma rodada de sete jogos virou cinco, que acabou virando três: Náutico-Portuguesa (0-0) e Ponte Preta-Santos (1-0) simplesmente sumiram do mapa. Atlético-GONE x Sport (0-1) tinha tudo pra dar uma de KRONOS e sumir também, mas o goleirão do Leão da Ilha pegou um pênalti, e HUGO COVEIRO honrou o apelido colocando mais uma pá de cal no túmulo do Dragão. Joinha.

No estádio mais mágico do Brasil (Engenhão), onde a torcida é sempre uma ilusão, o Flamengo usou algum tipo de pó de pirlimpimpim pra vencer o São Paulo (1-0). Dois destaques: o pênalti PQ FAS ISO LUI FASBIAO (http://grem.io/cJg) perdido pelo tricolor paulista e, no gol, o golpe do GENTE EU NADA PUDE FAZER NAQUELA BOLA BLZ? do RC01, já mencionado aqui em algum texto anterior.

Porém, se teve algum truque que valeu a pena, foi em Atlético-MG x Fluminense. Êta joguinho cheio de reviravoltas, um verdadeiro duelo entre Robert Angier e Alfred Borden (é a referência cinematográfica do dia – ver o título deste post). Na real, nem há muito que falar. O Galo saiu na frente, mas o gol de falta do Ronaldinho foi anulado devido a uma infração MANDRAKE assinalada pelo juizão. Vocês viram. Daí o Flu foi lá e usou aquele truquezinho batido de tomar pressão e contra-atacar com Fred e WELLINGTON NÃO. 1-0. No entanto, o feitiço não surtiu o efeito desejado, e o tricolor das laranjeiras meio que se deu mal, pois Ronaldinho incorporou o Mickey em FANTASIA e resolveu atuar como o maestro mágico do time mineiro. Primeiro, deu uma bola redondinha pra Jô encher o pé (antes que Bernard chegasse na jogada) e empatar. Depois, lançou o Batatin (batatin eu nu sabia nã agorqueutôsaben ele vai vê só comig), que cruzou na cabeça do atacante amigo do Batman, pra virar o jogo. 

O Fluminense ainda conseguiu empatar com Fred, em gol que não teve nenhuma irregularidade, mas que claramente faz parte do grande ESQUEMA UNIMED™ - notem como o árbitro corre para comemorar junto aos atletas tricolores. Porém, de nada adiantou, pois EL DENTUÇO tirou um COELHO DA CARTOLA (vocês não acharam que eu ia escrever um texto sobre mágica e não usar esse trocadilho, né?!) ao lançar conscientemente uma bola na área, que encontrou a cabeça de Leonardo Silva e foi morrer na rede de Cavalieri.

Aliás, gol muito semelhante ao do Réver, nos 6-0 contra o Figueirense. No fim, o resultado do ESQUEMA BMG™ acabou sendo bom pra quase todo mundo: pro Atlético, que ilude sua torcida e encagaça o Brasil por mais umas três rodadas; pro Fluminense, que continua líder e nota que não vai ser campeão só no embalo; pro campeonato, que ganha (cof) em emoção (cof cof); pro Palmeiras, que cola na ilusão do Galo e acha que AINDA DÁ (se bem que, estive olhando a tabela, até dá); só não foi bom pro Grêmio, que vai morrer no 3º lugar do campLEMBREI!!! Foi do Grêmio o outro jogo do sábado, 0-0 com o Coxa, um ponto em seis e eu aqui sem poder mandar uma corneta no El (pelo Brasileirão, claro). Enfim, dei uma de Mister M e mostrei pra vocês os truques da reta final do campeonato. Só que o segredo de como eu fiz isso eu não posso mostrar. SIM SALABIM!

Troféu DAVID COPPERFIELD: Galo e Flu. Jogão. Bolas na trave, tretas com a arbitragem, golaços. Olhem a comemoração do Leonardo Silva. O futebol é lindo.

Troféu MANDRAKE: Esses jogos que não existiram.



Nenhum comentário: