segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Aquela camisa: Chelsea 1997-98

Foto: Mirror Football
Em 1998, o Chelsea levantou dois troféus na mesma temporada, com uma das camisas mais bonitas de sua história. Naquela época, o dinheiro não caía do céu, mas o elenco era recheado de craques.

Quem jogava lá?
A temporada de 1997-98 ainda é uma das mais bem sucedidas do Chelsea. Antes de virar potência na Inglaterra e contar com o rico dinheiro de Roman Abramovich, o clube londrino viveu bons tempos com uma legião estrangeira no seu elenco. A começar pelos goleiros Ed de Goey e Fröde Grodas, os defensores Celestine Babayaro, Dan Petrescu, Frank Leboeuf, Graeme Le Saux, Frank Sinclair, os meias Gustavo Poyet, Dennis Wise, Roberto Di Matteo e os atacantes Ruud Gullit, Gianluca Vialli, Tore Andre Flo, Mark Hughes e Gianfranco Zola. Dessa lista extensa, apenas Gullit, Wise, Poyet e Hughes não estiveram no Mundial de 98. Era muita gente de respeito no cenário internacional.

Como foi a temporada?
Pela Premier League, o Arsenal ergueu o caneco com apenas um ponto a mais que o Manchester United, o vice. O Chelsea, por sua vez, terminou em quarto, com 15 pontos a menos do que os 73 dos Gunners. O mata-mata foi mesmo a especialidade dos Blues, que eram treinados por Gianluca Vialli, que de vez em quando ainda entrava em campo pra resolver as coisas com os próprios pés. 

O primeiro título daquela temporada para o Chelsea foi em 29 de março de 1998, com a vitória sobre o Middlesbrough de Paul Gascoigne e Fabrizio Ravanelli na Copa da Liga Inglesa. A partida terminou 2-0 para os Blues, na prorrogação, com gols de Sinclair e Di Matteo. Dois meses depois foi a vez de vencer o segundo título da Taça das Taças da UEFA. O adversário na decisão foi o Stuttgart de Thomas Berthold e Krassimir Balakov. 1-0 para o Chelsea, gol de Zola.

Foto: Ebay
Fabricante e curiosidades
A Umbro fez a camisa do Chelsea para a temporada de 1997-98. Essa parceria durou mais de duas décadas, de 1975 a 2006 (de 1981 a 87 a Le Coq Sportif assumiu a produção). Na maioria das vezes, a fornecedora não inventava moda, o que não quer dizer que o clube não teve camisas horrendas como a de 1987-89, a croata de 1990-92, a terceira de 1993-94 e a reserva de 1994-96, todas obras primas da tosqueira dos estilistas.

Felipe Portes ainda é estudante de jornalismo, tem 23 anos e é o dono e criador da Total Football

"O futebol na minha vida é questão de fantasia, de imaginário. Fosse uma ciência exata, seria apenas praticado por robôs. Nunca fui bom em cálculos e fórmulas, o lado humano me fascina muito mais do que o favoritismo e as vitórias consideradas certas. Surpresas são mais saborosas do que hegemonias.

No twitter, @portesovic.

Nenhum comentário: