quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Quando Monty Python explica o futebol

Foto: Mirror
O programa de humor mais aclamado do mundo explica muita coisa sobre o futebol moderno. Prevendo algumas tendências na década de 70, o Monty Python tem em alguns quadros a metáfora perfeita para várias situações no esporte. Escolhemos algumas delas. Evidente que o Futebol dos filósofos não entrou, por motivos óbvios.

Enquanto você ri de algumas tiradas dos Python, nós procuramos algum paralelo com o futebol mundial. E não foi difícil fazer uma relação em alguns deles. Confira a nossa lista abaixo.

Spanish Inquisition (Torres marca e elimina o Barça na Liga dos Campeões 2011-12)


O Barcelona estava tranquilo para conquistar mais uma vez a Europa. No seu caminho, o Chelsea, nas semifinais. Valdés estava limpando os moinhos do Camp Nou quando viu Torres correr em sua direção. Ele não esperava uma Inquisição espanhola. Naquela competição, a principal arma do Chelsea foi a surpresa e uma defesa segura. Não, não, as duas principais armas eram a surpresa, uma defesa segura e um ataque eficiente. Espera aí...

The funniest joke in the world (Robinho quer ser o melhor do mundo)


Ernest Scribbler é um escritor de piadas e um roteirista que escreve uma história sobre um menino talentoso que surge no Santos e desponta como o Novo Pelé. Com três anos de carreira, este menino, Róbson, é vendido para o Real Madrid a peso de ouro. Róbson, mais conhecido como Robinho, revela o desejo de ser o melhor do mundo. Ernest termina este roteiro e morre de rir com o clímax.

Dead parrot (Prosinecki é vendido para o Real Madrid e sempre se machuca)



O Real Madrid comprou o croata Robert Prosinecki em 1991 logo após a conquista do Estrela Vermelha na Copa dos Campeões da Europa. Só que havia algo errado com o meia, que saiu caro pra dedéu. Ele não reagia muito bem, andava meio quietinho. Os dirigentes sérvios lucraram com a negociação e juravam que Prosinecki não estava morto, apenas descansando.

Olympic Hide-and-seek finals (Rivaldo, em sua saga contra a aposentadoria)



A passagem frustrada pelo São Paulo fez Rivaldo pensar em outros rumos para a sua carreira, aos 39 anos. Participou das Olimpíadas de Esconde-esconde, sendo finalista. Na decisão, foi encontrado um ano depois, jogando pelo Kabuscorp em Angola. Segue treinando para ganhar a medalha de ouro, hoje no Mogi-Mirim. Para as próximas Olimpíadas, Rivaldo pretende tentar superar seu recorde jogando por algum clube da segunda divisão de Malta ou Andorra.

Tribunal Criminal Central (Tribunal decide quem fica na primeira divisão do Brasileiro)


Cada relator era obrigado a fazer uma mímica para justificar sua sentença. Não era permitido ser objetivo, logo, os relatores levaram o público à loucura com um jogo de adivinhação. O Fluminense foi considerado inocente pelo seu rebaixamento e a Portuguesa foi condenada à fogueira por escalar um jogador irregular. Próximo caso.

Déjà-vu (Grêmio, Palmeiras e Vasco na Série B)

 

Aquela estranha sensação de que você já esteve jogando a Segundona, ouvindo as piadas dos rivais e pagando pelos mesmos erros de anos antes. Gremistas, Palmeirenses e Vascaínos jogam a B como quem tem um Déjà-vu.

Johann Gambolputty de von Ausfern... (Vennegoor of Hesselink viverá para sempre)



A vida deve ser mesmo difícil para Jan Vennegoor of Hesselink, dono de um dos nomes mais longos da história do futebol. Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira também não fica atrás, mas de acordo com fontes seguras, o atacante holandês não teria só três nomes. Fontes garantem que ele na verdade se chama Jan Klaas Marco van Hasselbaink Kluivert Overmars von Dijk Basten Hooijdonk Bergkamp Neeskens Keizer Swart Breukelen Nistelrooy Vennegoor of Hesselink Michels Hiddink.

FAIXA BÔNUS: The dull life of a city stockbroker (A vida de Romarinho)

]





Nenhum comentário: