quinta-feira, 15 de março de 2012

TF História: Kashima Antlers e a herança dourada

A estadia de Zico em Kashima no começo dos anos 1990
está fortemente ligada ao crescimento do futebol japonês
Foto: Kashima Antlers Brasil
Felipe Portes-san, @portesovic
De Kashima-JPN

Todos estão cansados de saber que o povo japonês é louco por futebol. Especialmente na década de 1990, com a criação da J-League, o esporte no país também cresceu bastante por outros dois fatores: Zico e a Copa de 1998. O esquadrão nipônico, que nunca havia ido a um Mundial, já era exaltado pelo fanático povo japonês por meio de produtos oficiais; os intermináveis videogames produzidos pela Konami e por que não Tsubasa, o Pelé deles.

Tsubasa e Winning Eleven à parte, em 1992 o processo de profissionalização do futebol local tomou forma. Eram 10 times: Verdy Kawasaki, Yokohama Flügels, Yokohama Marinos, Kashima Antlers e Shimizu S-Pulse, Gamba Osaka, JEF United, Nagoya Grampus, Sanfrecce Hiroshima, Urawa Red Diamonds. Foi em meados de 1993 que o primeiro pontapé oficial foi dado. 

Antes disso, em 1991, Zico desembarcou no país para ajudar na popularização da modalidade diante do resto do mundo. Ao lado de Alcindo, o Galinho de Quintino disputou a primeira temporada do campeonato japonês pelo Kashima e tornou notória a marca do Antlers no mercado internacional. Ironicamente, Zico não venceu nenhum título como jogador e se aposentou em 1994.

Montando uma estrutura bem sucedida, a agremiação rubronegra (primeira das similaridades com o Flamengo) venceu a sua primeira J-League em 1996, iniciando a arrancada para ser o maior vencedor do país. Os frutos da boa parceria firmada com o Galinho foram enormes. Hoje quando se fala em times japoneses, logo se associa ao Kashima.

Travestido de Flamengo, o Kashima fez um uniforme idêntico ao dos cariocas
em 2008, como se pode ver na imagem (GloboEsporte.com)
A herança dourada de Zico não parou por aí. Em 1999, retornou ao clube para ser treinador. Essa rápida experiência serviu de base para que o Galinho fosse promovido a diretor, iniciando assim uma série incrível de conquistas. Ainda em 1999, uma Supercopa japonesa, no ano seguinte, a J-League, a Copa do Imperador e a Copa da Liga, em 2001 mais uma J-League.

Herói absoluto em território nipônico, Zico assumiu logo depois a seleção nacional, que comandaria até a Copa de 2006. Os samurais ficaram pela primeira fase numa chave com Brasil, Austrália e Croácia. Nem mesmo a má campanha diminuiu a idolatria pelo povo local ao grande pilar que muito contribuiu para que o futebol fosse a preferência dos japoneses.

Oswaldo e o grupo do Antlers na conquista de 2007 (Zero Hora)
Sob o comando de Oswaldo de Oliveira, por um acaso indicado pelo próprio Zico, o Kashima conseguiu uma façanha até agora inédita no território nippon: o tricampeonato da Liga (2007, 2008, 2009) e os títulos da Copa do Imperador (2010) e Supercopa do Japão.

Os (agora) rubronegros de Kashima tiveram seu mais recente triunfo em 2011, ainda com Oswaldo (que atualmente é técnico do Botafogo) no comando, pela Copa do Imperador. A edição passada da J-League marcou uma frustrante sexta colocação na classificação final.

Como toda hegemonia, a do Antlers se encerrou lentamente. Abrindo espaço para rivais como Gamba Osaka e Kashiwa Reysol e sob a batuta de Jorginho (ex-Figueirense), o único caminho da agremiação é voltar às cabeças na liga nacional.

A julgar pelas similaridades com o Flamengo, começando por Zico, passando por Alcindo, Jorginho, Oswaldo, as novas cores e o mundaréu de títulos, podemos dizer que os japoneses estão em melhor situação no quesito ambiente. Desfrutam de um clima um tanto quanto mais pacífico e sem crises para traçar seus planos e novas conquistas. Na Gávea, por outro lado, a paz infelizmente passa longe...

2 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.