quinta-feira, 17 de maio de 2012

Desafortunados: Andy Van der Meyde

Foto: flickr/mitrasites
Felipe Portes, @portesovic
De ???

Nascido em Arnhem, o meia atacante Andy Van der Meyde começou sua trajetória no futebol em 1997-98, pelo Ajax. Sua boa movimentação e interação com o setor ofensivo eram seus pontos fortes. Impressionando os treinadores das categorias de base dos Godenzonen, o rapaz traçou bons passos e o fato de ser canhoto (característica bem vista por olheiros) facilitou esse avanço. 

Aparecendo constantemente entre os titulares numa fase complicada da equipe de Amsterdã, Andy foi emprestado ao Twente em 1999-00. Seu retorno ao Ajax em 2000-01 foi fundamental para consolidar sua posição como titular. Com as peças certas, conquistou o título da Eredivisie em 2001-02 sob comando do treinador Ronald Koeman.

Em ação contra o Valencia na LC de 2002-03 (NRC.nl)
Inicialmente como ponta direita, começou a fazer sucesso na Holanda, vivendo seu auge durante a Liga dos Campeões de 2002-03, quando os godenzonen alcançaram as quartas de final (última vez, inclusive), perdendo para o Milan, que viria a levantar o troféu contra a Juventus numa final com disputa de pênaltis.

Aquele foi o último grande elenco do Ajax, diga-se de passagem: Hatem Trabelsi, Christian Chivu, Maxwell, Petri Pasanen, Tomas Galásek, Steven Pienaar, Rafael Van der Vaart, Wesley Sneijder, Jari Litmanen, Nigel de Jong, Zlatan Ibrahimovic e Mido (tá, ok, o último foi só pra causar impacto). A boa fase de Andy refletiu no seu maior número de gols em uma só temporada: foram 11 tentos em 28 partidas.

Negociado com a Internazionale em 2003-04, foi logo mostrando que se tratava de um flop. O estilo decisivo dos tempos passados já não estava mais lá, os gols tampouco, restou só a promessa de que iria retomar a boa forma no futuro. Em dois anos na Inter, entrou em campo apenas 32 vezes, se tornando um reserva de luxo no esquema de Roberto Mancini, treinador nerazzurri em 2004-05.

Ainda sim ganhou uma chance de fazer parte da Holanda que disputou a Eurocopa de 2004, perdida nos penais para a República Tcheca nas quartas de final. Já ameaçando descer a ladeira daqueles que brilham e não mantém a performance, Van der Meyde decidiu se transferir para o Everton após mais um fiasco interista. A eliminação frente o Milan (também) nas quartas de final da LC de 2004-05 (aquele mesmo do sinalizador na cabeça do Dida, e tal) motivaram o meia a procurar sua reabilitação na Inglaterra.

Ligeiramente fora de forma e com problemas de comportamento,
Andy mostrou seu lado revoltadinho ao abdicar da cabeleira
e ficar completamente careca (Foto: Daily Mail)
Nos Toffees, piorou. Repetidas lesões e escassas atuações fizeram com que Andy passasse quase quatro temporadas só assistindo do banco de reservas. Jornais especulavam que ele agora tinha problemas com alcoolismo, o que sempre foi negado com veemência pelo holandês, muito embora meses depois ele tenha dado entrada num centro médico em Liverpool com certa quantidade de álcool no sangue. Fato é que ele raramente exercia seu ofício.

Cotado para voltar ao Ajax, afirmou várias vezes estar contente (claro, vamos tomar isso como verdade) no Goodison Park. As manchetes e a sua ausência na escalação do Everton diziam totalmente o contrário. Somente em 2008-09 desfez sua ligação com o clube, ficando alguns meses na geladeira até ser contratado junto ao PSV, onde lamentavelmente não faria nenhum jogo oficial. Detalhe: não marcou um gol sequer nas quatro temporadas em que esteve na Premier League.

Tiozão do churrasco no Emmen, Andy desfila a pança na terceirona holandesa
Foto: RTVDrenthe.nl
Chegou a se aposentar em 2009-10 após o fracasso no PSV. Aceitou o convite do WKE Emmen, que joga na terceira divisão holandesa e por lá joga até hoje, provavelmente se sentindo em casa e sem a vistosa cabeleira de outrora.


Um comentário:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.