terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Povo? Gente? Bola pra frente

Claudio Pool, ou Caçapa, lenda avaiana deste Dilmão 2011

Rodrigo Salvador, @novosomsalvador
De Curitiba-PR

O jogo de domingo foi um bom retrato do ano do Avaí. Só faltou perder pra ficar um retrato excelente.

O time começou mal o jogo, como começou mal o ano. Um monte de jogador bom foi embora, tipo o Emerson, e veio muita gente boa, tipo o---. O Campeonato Catarinense, dá até um ruim de lembrar. Se juntasse os técnicos dos 10 times em um time, gordos e burros mesmo, pra um amistoso contra o Leão, eles ganhariam (sim, com um a menos). Foram 4 derrotas logo de cara, incluindo uma em casa pro glorioso Imbituba. Chegamos, sei lá como, na final do segundo turno, pra deixar a Chape levar a vaga pra final, puta merda. Tudo errado demais. No clássico também, a primeira meia hora do time foi uma grande, fedida, carcomida, apodrecida e nojenta bosta.

Aí, quando você tá pronto pra ver a próxima demência futebolística do Avaí, ele acerta. O time foi se encorajando, ameaçando, até que o Lincoln (fica Linco =/) cruzou pro gol do Diogorlando. E isso ajuda a lembrar que, nesse ano péssimo, o Leão fez uma coisa boa sim. Quartas de final da Copa do Brasil, todo mundo cantando São Paulo e Vasco na semifinal. O Vasco chegou, mas o São Paulo pegou o Leão. Guerreiro, corajoso, valente, o Leão foi buscar dois gols contra o "soberano" e cavar a vaguinha na semi. Guerreiro, corajoso, valente, a Azurra segurou o Vasco em São Januário e tinha condição total de ir pra final. Miguelão, covarde, medroso, perdeu em casa.

O balde de água fria daquele jogo contra o Vasco tem tudo a ver com o gol do tricolor do estreito ontem. O Avaí mostrando força, vindo do melhor momento que desde o começo do jogo/campeonato, aí toma uma invertida. É de cair os butiá do bolso. O time volta pro lugar em que estava, mas sem ânimo. E dá nisso: jogo arrastado, o time fingindo que o jogo valia alguma coisa. Ano arrastado, o Leão fingindo que podia se segurar na série A. E assim até o fim melancólico. Com o empate, o Leão garantiu duas coisas: a melhor campanha catarinese na história do Brasileiro, deixando o Figueira em oitavo, contra o sexto lugar de 2009; e um grande argumento de bosta pra maquiar as cagadas de 2011. 

Último lugar, nada de relevante no ano. Uma pena pra alguns caras, como o William, o Lincoln, o Caçapa, o Cleverson, até o Neguinho. Não mereciam esse cenário. E a expectativa pra 2012 é baixíssima. Os reforços são do quilate de Aélson, Marcinho Guerreiro, Renato Santos e Ronaldo Capixaba e Neílson. Vai ser um ano ruim se não subir, não importa o resto. Afinal, Zunino vai continuar desfilando do jeito que quer pela Re$$acada dele, vai continuar desmentindo o hino do time e fazendo do Avaí cada vez menos povo, menos gente, menos bola pra frente. O Avaí que a torcida quer é muito diferente do Avaí de hoje, que é "só coração". E agora eu peço licença pra esquecer essa merda toda.

Nenhum comentário: