quinta-feira, 26 de abril de 2012

Desafortunados: Paul Dalglish

Foto: Getty Images

Felipe Ferreira, @felipepf13
De Araçatuba-SP

Filho de peixe, peixinho é. Tal ditado bastante comum no cotidiano pode servir para evidenciar bastante coisas, porém, quando se fala em talento no futebol, esta frase não se aplica. Uma das provas mais concretas disso é Paul Dalglish. Filho de Kenny Dalglish, atual técnico do Liverpool e ídolo dos Reds e do Celtic na época em que era jogador, Paul não conseguiu chegar nem perto da unha do dedão do pai quando se diz a respeito do sucesso no futebol e, caso não fosse o famoso sobrenome, provavelmente não o conheceríamos.

O início de sua carreira foi de certa forma promissor. Atacante, com passagem pelas bases do Celtic e do Liverpool, muito em função do renome de seu pai dentro de ambas as equipes, Paul contou com algumas convocações para a seleção sub-21 da Escócia, mas não convenceu muito. Em 1997, graças a seu pai que treinava os magpies e o contratou, o Newcastle foi o rumo do jovem, que pouco mostrou de eficiência, mas foi emprestado para outras agremiações.

Contratado pelo papai, Paul Dalglish não conseguiu 
obter sucesso jogando pelo Newcastle (Foto: Getty Images)
Em 1999, durante empréstimo ao Norwich, Paul conseguiu ter alguns lampejos e agradar o clube que contratou em definitivo. Todavia, não demorou para os Canários se estressarem com o rapaz e em 2001, o mandaram novamente por empréstimo (sua sina) para o Wigan, onde também somou raras boas aparições. Já adentrando 2002, o herdeiro do reinado de King Kenny mudou-se para o Blackpool.

Nos Tangerines seu desempenho foi pífio tanto que ficou sem espaço e acabou emprestado para mais um time modesto, desta vez o Scunthorpe United, onde ficou por um curto período de 2003, já que no mesmo ano acabou por ir se aventurar na Irlanda, jogando pelo Linfield e lá flopou em mais uma apática passagem. Ano novo, vida nova e clube novo para o desafortunado Paulinho, que dessa vez partiu para o futebol escocês, pelo Livingston. Lá, teve apenas uma partida memorável, contra o Celtic, onde marcou dois gols, e chamou atenção de outro clube escocês que acabou arrematando-o: o Hibernian.

Dalglish e mais um flop no Hibernian (Foto: STV)
Apesar de ter chegado com certo renome, sua passagem pelos Hibs foi pouco brilhante e nem um ano ficou no clube. E daí então, o atacante foi atrás de novos ares para a sua carreira no ano de 2006, os Estados Unidos eram a nova morada do jogador, que se transferiu para o Houston Dynamo.

Foi mais um ano colecionando decepções em sua carreira, mas, na terra do Tio Sam, além das contusões que teve, Dalglish conseguiu realizar um feito notório e na final da MLS Cup de 2007, contra o New England Revolution, marcou os dois gols da sua equipe na vitória por 2 a 1 e o título ficou com os alaranjados de Houston, que já haviam sagrado-se campeões do mesmo evento em 2006.

Ainda achando que tinha lenha pra queimar, Paul acertou com o Kilmarnock onde mais uma apática passagem entrou pra sua coleção. As contusões se acentuaram, o obrigando a encerrar a carreira, para a alegria dos amantes do futebol bem jogado.

Hoje, o ex-atleta é técnico do Austin Aztek, equipe norte-americana de segunda linha que sequer joga a MLS. De fato, Paul só está aqui nesta seção e jogou em clubes conhecidos graças a um único fato: seu pai é Kenny Dalglish.


Nenhum comentário: